The Sounds of Utopia


And other scars
Neutron Love Or Denied Past of memories

 

Um lamento subtil mas que não engrandeça.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A majestade do mundo é precisamente tudo aquilo que felizmente o homem não alcança. Não fosse isso e os tomates enlatados dos homens que fornicam a arte há muito que teriam saído das suas latas velhas e nauseabundas para espalharem a sua letargia barata pelas latrinas municipais.
Um desespero fundamental.
Morram com a arte!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estética anti-estética

 

O tempo utilizado para elaborar uma estética é retirado ao tempo utilizado para elaborar uma existência. E não pensem que falo assim por falar. Basta fazer as contas. É um facto que um determinado tipo de estética, a que se determina pela limpeza, pelo acerto, pelo pormenor de cara borrada, ou pelo cabelo em tom sublime, ou pelo berloque colocado a preceito, estupidifica. É um facto que um determinado tipo de estética estupidifica. Requer o carinho que se vota às bonecas. E o Homem não é um boneco. Não lhe é atribuível um passado que não tenha existido, tão pouco um ser que é uma mera fantasia. Fosse assim e estaria tudo muito certo. Mas felizmente, digo eu, existe o contratempo da realidade. Contratempo no sentido de ser contra um tempo. Cada indivíduo para se ofuscar convenientemente, e assim passar a ser um, deverá a partir deste exacto momento negar-se plenamente: detestem-se. Façam tudo ao contrário do que a vontade vos invoca. Mordam o ser como se fosse a fivela do condenado à chicotada. Porque a merecem. Sintam isso. Morram. Caiam na lama. Mas não sangrem. Isso não é estético. Isso fica para mim.

 

 

Estética Anti-estética é Neon Light Forever – ZX